Estratégia1: Orientação ao Mercado, a Demanda, ao Cliente.

Até agora, nos posts anteriores desta série, falamos sobre o ambiente turbulento. Falamos da logística, das cadeias de suprimentos e das redes de valor e apresentamos a colaboração como elemento essencial para lidar com este cenário.

Tudo isso para poder começar a apresentar as estratégias!

 

Principais estratégias competitivas

Essas são as estratégias que vamos falar neste e durante os próximos posts!

A primeira estratégia fala sobre o Gerenciamento da logística e das cadeias de suprimentos. Sua realização de forma EFICIENTE tem a capacidade de DIMINUIR CUSTO, AUMENTAR a RECEITA e com isso OTIMIZAR a LUCRATIVIDADE.

 

Orientação ao mercado, a demanda e ao cliente

Os avanços tecnológicos trouxeram a comodização dos produtos, percepção pelos clientes de tudo ser muito similar. Desta maneira, um cliente não é mais fiel a uma marca e sim a uma cesta de marcas. Podendo levar qualquer uma das marcas disponíveis.
Neste caso a disponibilidade se torna fator determinante para a compra. É onde entram os famosos “4R’S“:

 

  • Produto certo;
  • Lugar certo;
  • Tempo certo e
  • Preço certo.

 

E a Logística e as Cadeias de Suprimentos estão aí para fazer a sua empresa atingir esse objetivo!
Tornam-se um meio potencial de diferenciação, para entrega de valor superior ao cliente. Prestar um excelente Atendimento ao Cliente através do fornecimento de disponibilidade, uma utilidade de tempo e lugar.

 

A Construção da Disponibilidade

Os Padrões na construção desta disponibilidade, como os descritos abaixo, devem ser analisados com bastante cautela, uma vez que irão interferir nos resultados gerais.

Disponibilidade de estoque – Disponibilidade de informação (status) – Acessibilidade ao atendimento – Conveniência na colocação de pedidos – Taxa de execução ao pedido completo – Ciclo de tempo do pedido – Confiabilidade de entrega – Frequência de entrega – Restrições ao tamanho de pedido – Procedimentos para Reclamações.

 

Um relevante estudo de (CORSTEN; GRUEN), mostrado no gráfico abaixo, apontou a existência de uma razoável indisponibilidade média de estoque, o que direcionaria uma potencial demanda para marcas e canais de distribuição alternativos.


Esse redirecionamento se revela principalmente na decisão de compra presencial, quando a disponibilidade imediata do estoque se torna um fator crítico.

A indisponibilidade de estoque implicaria um significativo impacto negativo nos negócios, tanto para fabricantes quanto para os canais de distribuição.

Portanto, como afirmado no início deste post #ficaadica;

O Gerenciamento EFICIENTE da logística e das cadeias de suprimentos tem a capacidade de DIMINUIR CUSTO, AUMENTAR a RECEITA e com isso OTIMIZAR a LUCRATIVIDADE do seu negócio!

Estamos apenas na primeira estratégia e existem diversos outros fatores a se considerar para que sua empresa chegue lá! Eles serão abordados nos próximos Posts.


Neste Post nós começamos a falar das ESTRATÉGIAS.

No próximo Post vamos falar das MÉTRICAS que os acadêmicos e estudiosos estão trazendo sobre como lidar com tudo isso.

Quer assistir uma apresentação mais detalhada em vídeo? Clique no link ou acesse diretamente

https://youtu.be/Wz7WP6ytOzY


E aí, gostou do post? Tem alguma dúvida? Quer deixar um comentário ou sugestão? Utilize o formulário abaixo.?



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *